segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O ABUTRE

Estes pássaros incapazes de usar as patas para matar comem principalmente carcaças de animais mortos. Suas asas enormes dão a eles um ar majestoso durante o vôo e permitem que eles passem horas rodopiando no céu. Sempre em grupo, remexem o solo à procura de alimento. Seu pescoço comprido e desnudo, encimado por um anel de penas, dá a eles a possibilidade de enfiar a cabeça nas grandes carcaças dos animais. Há uma grande distinção entre os abutres do Velho Mundo (Europa, África e Ásia) e os do Novo Mundo (Américas). Os primeiros, da ordem dos acipitriformes, pertencem, como as águias, à família dos Acipitrídeos. Eles são frequentemente associados à idéia da morte por serem os primeiros a localizar as carcaças dos animais. É o caso do abutre-real (foto).  


Esse carniceiro tido como o mais eficiente, se aproveita da caça de um predador, de quem ele rouba a presa morta, deixando apenas os ossos.  Pode chegar a medir 1,15 metros de comprimento, ultrapassar facilmente os 2,80 metros de envergadura pode pesar até 9,5 quilos. Também chamado de abutre-torgo (Torgos tracheliotus) é facilmente reconhecido pela sua cabeça nua e de coloração avermelhada e sua face predominantemente enrugada. Os abutres são mais longevos em relação a outros pássaros, chegando a viver 30 anos em cativeiro.
Foto: Morten Nilsen

O abutre-fouveiro (Gyps fulvus) é o faxineiro da natureza.  Também conhecido pelo nome de grifo, é um abutre que ocorre nas montanhas do sul da Europa, do sudoeste asiático e da África. Tais abutres chegam a medir até 1 metro de comprimento e 2,7 metros de envergadura, e pesam de 6 a 12 kg. Registaram-se casos raros de grifos atacarem presas vivas, especialmente animais jovens, fracos ou doentes.Ele nidifica na beira de um precipício ou em falésias nas montanhas e nos desertos. Quando um deles localiza uma carniça, alerta a colônia com um grito perceptível a muito quilômetros. Sobram apenas os ossos!
Origem: Wikipédia

Origem: Wikipédia
abutre-barbudo (Gypaetus barbatus) é um abutre originário das montanhas da Europa, Ásia e África. Tem plumagem dorsal escura e ventral castanho-clara e a cabeça e o pescoço emplumados. Também é conhecido por abutre-das-montanhasabutre-dos-cordeiros e quebra-ossos. Ave de grande porte, atinge 12,5 quilos de peso, 1,10 metros de comprimento e 2,75 a 3,08 metros de envergaduraO abutre-barbudo preenche um nicho ecológico altamente especializado, já que se alimenta quase exclusivamente de ossos (que engole inteiros ou atira ao solo em voo, para comer a medula óssea, uma fonte de proteína não aproveitada por outras espécies necrófagas. Daí não possuir o pescoço sem penas dos demais abutres, que não lhe conferiria qualquer vantagem evolutiva, pois não enfia a cabeça no interior das carcaças.
Origem: Wikipédia
Já os abutres do Novo Mundo, da ordem dos falconiformes, compreendem os condores, os urubus e os urubus-rei.


Os condores são aves de rapina gigantescas encontradas apenas no hemisfério ocidental. Duas espécies são reconhecidas: o condor-dos-andes (Vultur gryphus) na América do Sul e o condor-californiano (Gymnogyps californianus) na América do Norte.
Foto: Débora Carvalho Meldau


O condor andino (Vultur gryphus) é a segunda maior ave voadora do mundo e a que tem a terceira maior envergadura de asas, com 3,2 metros. Ele pode chegar a pesar 14 quilos e voar até 300 km por dia. Alimentam-se principalmente de animais de pequeno e médio porte, como ratos, coiotes, veados e esquilos. Também se alimentam de carniça principalmente bovinaSeu habitat natural é na maior parte composto de campos verdes abertos ou área alpinas com elevação de até 5 mil metros. Ele prefere áreas abertas, que o permita espreitar a caça do ar, como rochas em geral. Ele é encontrado principalmente nos Andes


O condor fêmea procura fazer os ninhos no ponto mais alto das montanhas. Lá ela põe um ovo por ano, raramente dois, que é incubado por 58 dias. Ele gera um filhote branco parecendo um rolo de algodão. Caso nasçam dois filhotes, ambos lutarão até um derrubar o outro do ninho. A mãe observa a luta sem qualquer movimento para intervir. Ele é o símbolo nacional da Colômbia, Equador, Bolívia e Chile, integrando os brasões oficiais desses países. Possuem também um papel de destaque nos mitos e folclore das regiões andinas da América do Sul. São considerados ameaçados de extinção, sendo, por esse motivo, criados programas de reprodução em cativeiro dessa espécie.


O condor-da-califórnia  (Gymnogyps californianus), com seus 2,90m de envergadura, é o maior pássaro da América do Norte. É uma das aves de rapina mais raras: existem cerca de 60 indivíduos, restritos às montanhas da Califórnia. A cabeça, desprovida de penas, normalmente possui uma tonalidade amarelada, podendo tornar-se avermelhada ou arroxeada, dependendo do humor da ave. Vive e caça em grupo, usando suas garras cortantes para atravessar a pele dos animais mortos.
Origem: Wikipédia
Apresenta uma das maiores expectativa de vida entre as aves, podendo ultrapassar os 50 anos. Encontra-se na lista vermelha da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais) e seu status atual é "criticamente em perigo". O número de condores-da-califórnia foi drasticamente reduzido durante o Século XIX, devido à caça, saturnismo (envenenamento por chumbo) e destruição de habitat.
Origem: Wikipédia


O urubu-rei (Sarcoramphus papa) frequenta as florestas úmidas da América do Sul. Além de uma visão aguçada, possui o olfato muito desenvolvido, o que é excepcional para uma ave de rapina. Voando sobre as florestas, ele pode encontrar seu alimento, pouco visível entre as folhagens. Mas está ameaçado pelo desmatamento. Sua caça é proibida, pois é considerada uma ave importante na limpeza do meio ambiente, quando muitos animais são exterminados por doença, o urubu ajuda a controlar a epidemia comendo os animais mortos e agonizantes. Na natureza tem poucos predadores naturais, mas, devido à baixa reprodutividade da espécie e à degradação do seu habitat, é uma espécie cada vez mais rara de se observar.


O maior e mais colorido de todos os urubus, recebe este nome por vários motivos: pela exuberante coloração, presente principalmente na cabeça, e de seu forte bico que lhe proporciona ser o único urubu a conseguir a abrir as partes mais difíceis de seu alimento, como a carcaça de um animal grande, e sendo capaz de rasgar o couro de um boi ou de um cavalo e até mesmo de um bacalhau; como é um urubu sociável frequenta carniça com outros urubu] e assim que ele "abre" uma carcaça é seguido por outras aves necrófagas, que se aproveitam da carcaça já aberta para se alimentarem. Tem até 3 vezes o tamanho das outras espécies, possui 85 cm de comprimento, pesando aproximadamente 3kg, podendo chegar a 5kg, mas é bastante pequeno quando comparado a outros rapinantes. Sua envergadura varia de 1,70 m a 2,00 m. O urubu-rei é mudo, não possui siringe (laringe inferior das aves), sabe, porém bufar. A cabeça e o pescoço do urubu são implumes, isso quer dizer que não têm penas. Esta falta de penas é uma adaptação de higiene, a falta de penas previne bactérias da carniça, e expõe a pele aos efeitos esterilizantes do Sol
Quando incomodados vomitam e sopram fortemente para afastar um intruso, característica também feita pelos filhotes, quando o intruso se aproxima o urubu-rei defende-se com as garras e, principalmente, com seu poderoso bico. É vulnerável à extinção, pois é o único urubu brasileiro que é afetado pela destruição de seu habitat, além de ser capturado para tráfico de animais por sua beleza, e ser captura para ser exposto como troféu.



Um comentário:

Curiosidades

Loading...